sexta-feira, 22 de março de 2013

Amarras...






Somos subjugados à sua vontade, somos perpetuados no seu fim,
assim como um escravo se enclausura a cumprir os desígnios
da sua dona...

Desígnios que nos elevam, nos iniciam numa viagem sem fim,
Mas sem retorno, porque nada será como dantes...

Essa certeza que nos empurra a seguir sempre em frente,
A ultrapassar os olhares traiçoeiros do caminho,
A fechar bocas insolentes...

Esse instinto que nos remete a procurar o desconhecido,
E a saboreá-lo tão mais intensamente.
Essa provação em querer abraçá-lo, onde os obstáculos 
se tornam degraus de uma escada, para encontrarmos no
topo o expoente máximo da Beleza, do Prazer, da Luxúria.

Queremos senti-lo sempre, e mais ainda, porque nunca 
encontraremos a satisfação completa...
Um insaciar saciante, um brio inebriante, 
um aconchego desaconchegado, um bater desconcertado
do coração que se acerta no compasso da comunhão!




14 comentários:

  1. Desconcertante forma de bem querer viver...
    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Desconcertante forma de sentir, bomamigo...

      Beijo em ti ;)

      Eliminar
  2. O importante é nunca confundir, cafeteiras de bico, com panelas de pressão, ambas deitam vapor mas só uma apita… ;)))

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Prefiro as amarras que me fazem apitar de Prazer, Opus :)))

      Eliminar
  3. Respostas

    1. Gosto de saber que sentes como eu... :)

      Eliminar

    2. Pelos vistos também pensamos igual... :)

      Eliminar
    3. O tempo o dirá :)
      Vou aqui passando e provocando ;)

      Eliminar

    4. Aparece sempre que quiseres...
      És sempre bem-vindo :)

      Eliminar
  4. Ai Eva....talvez esteja demasiado sensível, mas comoveste-me com as tuas palavras, porque as sinto tão intensamente em mim...
    Mesmo que os degraus sejam tão ingremes que se tornam impossíveis de subir, mesmo que o compasso não se acerte na comunhão, serei sempre subjugada e escrava dos meus desejos, porque há realmente caminhos que uma vez iniciados não têm retorno possível.

    Beijoooos *Estrela*dos* em ti

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Estrela, não és tu que estás sensível, porque senão também eu estaria... comoveste-me com a forma como recebeste este pequeno Eu... que pelos vistos é muito parecido ao teu Eu ;)

      São os desejos que nos movem, num compasso delicioso (ainda que com algum sabor amargo pelo caminho).
      Somos sim escravas de nós mesmas, mas a nossa vontade fará sempre sentido...

      Beijos luxuriosos em ti ;)

      Eliminar
  5. Gostei daqui. Vou voltar! :)

    Beijo d'(Ela)

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. (Ela),

      Gosto de te ter por cá, volta sempre ;)

      Beijos luxuriosos

      Eliminar