terça-feira, 9 de abril de 2013

Fôlego...



... é o que perco quando o meu olhar encontra o teu. Falta-me o ar, sobressalta-me o corpo, pula-me o coração, fecham-se-me as pernas... Instintivamente! Incontrolavelmente! E tantas vezes, nem preciso ver-te, basta sentir que entraste no mesmo espaço onde estou. O meu corpo revela-se conectado à tua presença, intrinsecamente ligado em cada milímetro da minha pele que se arrepia quando chegas perto...
... abro a boca, na tentativa de entrar ar, e a respiração torna-se profunda, lenta... inspira... expira... inspira... expira... uma respiração lenta, quente, profunda, que se acelera quando as tuas mãos se aproximam do meu corpo...
... despes-me lentamente, desapertas um botão após o outro, sempre com o olhar preso no meu, com um fogo no olhar que me desmonta, que me despe mais depressa que as tuas mãos, que me faz estremecer de prazer quando a minha mente viaja pelo desígnios da tua vontade em me possuíres...
... os teus dedos entram em mim e humedecem-me ainda mais as entranhas. Não consigo impedir que um gemido de prazer se escape pelos lábios entreabertos. Dás-me a provar o meu sabor, lentamente passas os dedos besuntados do meu desejo pelos meus lábios, abro mais a boca sedenta de os lamber, a respiração acelera, puxo pelos teus dedos e provo-me, lambo e chupo, desmanchada de tudo, fechas os olhos e inspiras fundo....
... despidos de conversas, de falas perdidas, de encontros descombinados, sussurras-me um "quero-te foder, JÁ!". Irremediavelmente rendida na urgência do teu desejo, enlevada pelos teus beijos apaixonados, esfomeados da minha pele, do meu sabor, do meu cheiro em ti, atiras o meu corpo para cima da cama e sugas-me a pele, incendeias-me os sentidos, libertas-me as vontades, lambes-me até gemer bem alto e fechar em ti... com os dedos encadeados no teu cabelo puxo-te para um beijo reverente de missão cumprida, lambo os teus lábios agora vermelhos, sorvo-me de mim...
... a minha luxúria olha para ti intensamente e levo-te à boca, saudosa de te sentir e fazer vir só para mim. Chupo com uma fome à demasiado retida em mim, com um fogo incendiado por te ouvir a gemer que gostas, com um desejo entrelaçado e partilhado pela minha boca na tua virilidade, no teu prazer armado, nos teus gemidos roucos...

Desejo-Te cada vez mais... Preciso do teu ar...

12 comentários:

  1. catita... grande texto... se jogasse hoje a seleção já tinha pau para a bandeira..;))


    1beijo Eva

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Então marquei golo, Opus... ;))

      Beijos luxuriosos

      Eliminar
  2. E o contacto visual, esse delicioso tirano, usurpa qualquer resquício de ar :)

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. São olhares que nos apertam a garganta, e nos toldam a razão...

      Beijos ;)

      Eliminar
  3. Bem...ser o teu Apolo deve ser delicioso ;)

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Delicioso... só para começar ;)

      Eliminar

    2. Fica atento aos próximos capítulos... ;)

      Eliminar
  4. vou ali respirar venho já!


    beijo

    -___-

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Já recuperaste o... fôlego? ;)

      Beijos luxuriosos

      Eliminar
  5. Belo texto! Bela descrição, com intensidade! :)

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Obrigada Me, é intenso sim!

      Beijos luxuriosos ;)

      Eliminar